quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Não existem coincidências

Algumas coisas curiosam acontecem de vez em quando... bom, não existem coincidências, portanto, creio que sejam umas espécies de "avisos do Universo", rs. 

Acordei com a música "2345678", do Gabriel O Pensador, na cabeça; deve ser porque, há dias, recebi um e-mail falando da sutileza dessa letra, em comparação aos funks, músicas baianas e de forró atuais. [pausa para uma ida ao toilette, para vomitar - odeio os três "gêneros", i'm sorry]. 

Quando quase terminei de tomar café, [sim, porque eu dou uma pausa entre os últimos goles da xícara (acompanhados de cápsulas de ômega 3 e LipoSolution)], a genitora-tagarela-matinal (Deus abençoe tanta energia e capacidade de raciocínio às 6h40 todo dia), enquanto eu preparava os lanchinhos do dia, perguntou se eu havia comprado os potinhos de temperos (todos preto-e-branco) que ela viu na revista da Tupperware. As conexões cerebrais limitaram-se a formular um simples "não", em resposta.

Bom, só para você, leitor, não ter certeza de que sou maluca pensar que não escrevo coisas conexas, a música que mencionei no início do post tocou no rádio às 7h55. 

Continuando... Verificando e-mail, todos os sites de compras (Submarino & afins) parecem conspirar para que eu substitua (?) os jogos de cama, mesa e banho. Já os de compra coletiva jogam iscas de aparelhos com sistema Android, e uma geladeirinha so cute, que eu namoro há tempos, mas não tive coragem de comprar.

É... parece que a conspiração tem o propósito de, ou me quebrar, ou me enlouquecer. Nem sei se quero, efetivamente, descobrir a opção correta.