quinta-feira, 20 de outubro de 2011

A fé, testada

Nem sempre compreendemos os desígnios divinos, o que não significa que devemos nos revoltar, muito menos blasfemar. Claro, tudo na teoria é de fácil e imediata implementação; na prática, exige uma carga de resignação que dificilmente temos na bagagem.

Foi com tristeza no coração que li o post da Gi Salmazi, advogada como eu, blogueira paulista, que perdeu os gêmeos que esperava, aos cinco meses de gravidez.

Fico pensando no enxoval quase todo montado, nas roupinhas cujas fotos ela postou, todos os sapatinhos, as bolsas com trocadores, o carrinho de passeio... tantos sonhos, toda a expectativa, aquela barriga já tão grande... acabou.

Só nos resta orar para que haja consolo e conforto nesse momento nebuloso. E que haja, logo ali, adiante, um arco-íris. Descanse, Gi, e no seu momento, brinde-nos com seu sorriso e os maravilhosos looks diários, cheios de esperança num futuro melhor.