quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Sonho e realidade - detalhes práticos

"Se eu me casar, serei muito feliz. E, se ficar solteira, terei uma vida ótima e também serei feliz. Então, realmente não é prioridade."

Essa frase me foi enviada pela Lara, retirada do livro "Por que os homens se casam com as mulheres poderosas? (Por que os homens se casam com as manipuladoras)". Ela me prometeu ceder o livro, e faço questão de ir buscá-lo assim que retornar a Fortaleza. 

Conversando com ela sobre o tal livro, percebi que é hora de apertar uns parafusos soltos na minha cabeça. Ora, ora, por que ficar lamentando o medo e a insegurança do meu amado namorado? Se ele não pretende mudar, licencinha aí amigo, eu pretendo sim.

Eu não abro mão de casar, quem me conhece sabe que é um projeto de vida. Mas se o homem que eu escolhi não me escolheu, paciência. Alguém aqui precisa tomar uma atitude, porque o tempo está passando. Repito: eu amo esse cara, sou capaz de qualquer coisa pelo bem estar dele. Não preciso provar mais nada!

Engraçado como nós, mulheres, somos decididas. Estranho como eu havia adormecido isso em mim. Creio que seja a tal certeza de que ele é o cara. (Pausa para esclarecimentos: quando eu o vi pela primeira vez, estremeci. Sabia que era o meu número! Já passamos por maus bocados, enfrentamos situações as mais adversas possíveis, já moramos juntos por 3 meses, enfim...)

Pois é... e ele ainda tem incertezas, medos, inseguranças, dúvidas sobre casar. Bom, qual a diferença entre o que estamos vivendo hoje, e um casamento??? Aliança na mão esquerda (já usamos na direita!), coabitar (isso já acontece há tempos!), uma festa e um papel assinado??? 

(Caraca, agora que me dei conta: será que o medo é da festa e do papel assinado???)