sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Livros: um mundo à parte

Terminei de ler "Por que os homens se casam com as mulheres poderosas". Tenho inúmeros comentários sobre o livro, mas para aguçar o interesse das amigas e demais mulheres, direi duas coisas: vale a pena comprá-lo (custa R$ 16,90 nas Lojas Americanas, R$ 19,90 na Siciliano), e se você não extrair nada de bom do texto (o que acredito ser IMPOSSÍVEL), pelo menos vai garantir boas risadas.

Fiquei tão empolgada com a proximidade de concluir a leitura ontem que acabei perdendo o sono. Resultado: tipo 1h da manhã peguei o outro livro, "Comer, Rezar e Amar". Ledo engano sobre cochilar ao começar a lê-lo. Fui obrigada a me obrigar a dormir (e isso existe, obrigar-se a dormir? rsrs).

A reviravolta que tomou conta da minha vida desde a semana passada serviu para uma série de mudanças, positivas. Além de eu haver retomado a minha vida pessoal, meus anseios, meus sonhos, e ter-me desprendido mais do namorado, readquiri (ou melhor, reavivei) o hábito de ler. 

A gente fica tão preso ao controle remoto, à programação da tv por assinatura, que vai emburrecendo. Notei que havia sido absorvida quando escrever coisas simples aqui no blog exigiam reflexão sobre a adequação (ou não) de certas palavras. Que horror! Ainda bem que acordei a tempo de reparar o dano. Por outro lado, creio que nunca é tarde para abandonar velhos hábitos.

Se você que me lê passa tempo demais em frente ao computador, navegando perdidamente, ou ainda fica zapeando os milhares de canais da tv paga, faça como eu: troque uma noite de tv por uma boa leitura. Quando digo "boa", não siginifica que é para ler Platão ou Pablo Neruda, rs. É deixar-se levar por uma leitura que agrade. 

Aproveita o horário eleitoral. ;)

P.S.: não estou fazendo apologia contra a propaganda eleitoral, mas convenhamos, os discursozinhos dos candidatos, honestamente, afrotam a minha inteligência e também não influenciam meu voto. Em assim sendo, pouco me importa o que dizem na tv, nesse tal "horário obrigatório". Debates sim, faço questão de assistir.