quinta-feira, 1 de março de 2012

Just remember

Ontem fui dormir pensando nas reviravoltas dessa vida. Caramba, em tão pouco tempo, as coisas tomaram rumos distintos e muitas recompensas se apresentaram sorrindo, como se estivessem estado sempre ali, aguardando o meu sinal para se fazerem presentes.

Quando eu ouvia as observações dos outros, ou pensava nos exemplos próximos a mim, duvidava que fosse funcionar no meu caso. Ledo engano; a verdade é que os outros estavam certos, eu é que me recusava a abrir mão do que me maltratava.

Creio que tudo começou com o carro, depois a tv, depois o mau relacionamento. Nossa, como o apego entrava o crescimento, a fluidez da vida. Eu mesma vinha trancando as portas e janelas, ao passo que chorava por não conseguir ver a luz do dia; só que a chave repousava sobre a mesa, ao alcance da vista, das mãos, enquanto eu me recusava a pegá-la e destrancar tudo.

O que quero dizer com isso é que estou encantada com os rumos que aceitei tomar. Claro, a iniciativa louvável do cupido, o timing de um certo alguém, a conjuntura que conduziu ao que temos agora.

Percebi que tenho muitas perguntas, sobre muitas coisas, e pretendo fazê-las... desde que você me ensine como. Ah! eu tenho uma canção para isso... uma trilha sonora... mas vou aguardar para divulgar, rsrsrs.