quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Hugo Cabret, adorável!

Ontem, ouvi de uma pessoa no trabalho que assistir filmes era uma excelente forma de expandir a mente. Concordo, e acrescento: filmes com conteúdo lúdico, surreal. 

Ok, você vai dizer que acha absurdo ver Harry Potter e afins; mas vou retrucar, dizendo que você deve dar uma segunda chance, inclusive às animações. Sabe por que? Criatividade, imaginação, uma outra percepção da vida. Realidade é boa, sim, mas tem limites também. Nem só de filmes de ação se vive!

O fato é que ontem fui com mamãe ver, em 3D, o filme A Invenção de Hugo Cabret. Por sinal, ainda estou me perguntando (WTF) que nome é esse??? Rsrsrs. O nome original é simplesmente "Hugo", e não identifiquei uma "invenção" sequer. Se a linha do filme tivesse sido seguida, o nome deveria ser "Os 'consertos' de Hugo Cabret", rsrsrsrs.

Pois bem, sou ligada à "moral da história"... curioso é que os gêneros que mencionei sempre têm uma mensagem positiva, alguma coisa que a gente devia levar para a vida. Em suma: deveríamos nos modificar a cada contato com um filme.

Para quem se interessar, aqui vai o trecho do filme em que o Hugo faz uma comparação entre o mundo e os relógios, enfatizando sua opinião de que as pessoas seriam peças dessa engrenagem, cada uma com um papel bem definido. E se questiona, numa linda cena, repleta de filosofia: http://youtu.be/DTo6qwUgHEk


Ficou curioso? Veja esta resenha sobre o filme, aqui.