sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Cecília Meireles e eu, compartilhando dores em palavras

"Aprendi com as Primaveras a me deixar cortar para poder voltar sempre inteira."

Cecília Meireles
 
"...De que serviu tecer flores
pelas areias do chão,
se havia gente dormindo
sobre o próprio coração?
..."
 
Cecília Meireles
"...Já não sei mais a diferença
de ti, de mim, da coisa perguntada,
do silêncio da coisa irrespondida
."
 
Cecília Meireles

"Não: já não falo de ti, já não sei de saudades.
Feche-se o coração como um livro, cheio de imagens,
de palavras adormecidas, em altas prateleiras,
até que o pó desfaça o pobre desespero sem força,
que um dia, pode ser, parece tão terrível.
"
 
Cecília Meireles