quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Questionamento intrigante

É certo que existem termos próprios de cada profissão. Entretanto, quem advoga acaba tendo que se inteirar de coisas e situações que não foram ensinadas nos bancos acadêmicos (nem poderiam ter sido).

Pois bem, trabalho quase que exclusivamente para trabalhadores rurais em busca de aposentadoria por idade, na qualidade de "segurado especial", de acordo com a legislação que rege a previdência. E nunca, nunca mesmo passou pela minha cabeça entender sobre "agricultura familiar", "perímetros irrigados", cultura de milho, feijão, mandioca, abóbora... rsrsrsrs

Hoje, ouvindo os áudios das audiências havidas recentemente em Petrolina-PE, deparei-me com termos como "chibanca", arado,
"coivara". Mas o que me intrigou, e tive que recorrer ao Google (sem sucesso absoluto, apenas de passagem), foi a pergunta do Procurador do INSS:

- QUANTAS VEZES DÁ CABELO NO MILHO?

Em duas audiências distintas, ele indagou essa pergunta aos autores. Claro, curiosa como sou, busquei, mas continuo insatisfeita com os retornos fornecidos pelo Google sobre o assunto. Entendi perfeitamente a utilidade do cabelo do milho, descobri suas propriedades medicinais, seus vários usos (chá, principalmente)... mas ainda busco a informação que pondero "essencial": quantas vezes dá cabelo no milho???

Update:  segundo Samuel (o Diretor Adm do escritório), o milho só dá cabelo 1 vez, porque colhida a espiga, o cabelo morre. Aliás, a espiga em formação é conhecida como "boneca". Vivendo e aprendendo!