quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Das coisas que sei, das certezas que tenho

Sim, eu sei...


que estou entre a saúde e a recaída [com acessos de tosse],
que o custo das viagens é alto,
que o desgaste [físico, principalmente] é imenso,
que tenho uma vida para cuidar na capital,
que só consigo ir à manicure às sextas ou sábados,
que precarizei avós, mãe, amigas...

Mas o que eu posso fazer se eu o amo?
[e ainda tenho móveis a comprar, uma casa para montar]

Nessas horas, Marisa Monte traduz em palavras cantadas todo o sentimento que carrego no peito: