segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

A importância de ser útil

Antes de conhecer a doutrina espírita, nunca havia pensado mais aprofundadamente na questão da caridade. Não que exemplos não fizessem parte da minha criação, pelo contrário, a família Brasil é recheada de casos simpaticamente bacanas.

Pois bem, minha adorável genitora é um ser humano diferenciado. Sim, porque mesmo quando recebeu um tapa, teve a capacidade de oferecer a outra face. Foi duramente criticada por isso, inclusive por nós, os 3 filhos. Hoje percebo o tamanho da nossa ignorância...

 Após seu engajamento na doutrina, o que era nato tornou-se cotidiano. Muita gente recorre a ela em busca de um conselho, de auxílio material e afins. Mas o que chama a atenção é que ela não se furta de ser proativa. Ainda que o próximo não solicite, ou mesmo se recuse, ela procura ajudar de alguma forma.

Claro, depois de adulta é que compreendi a grandeza do ser humano que me deu à vida. Obviamente, tem inúmeros defeitos e quase sempre me deixa louca, rsrsrs. Mas afora os percalços da rotina, ela me ensina através de exemplos. Hoje, se consigo ser sensível e auxiliar de alguma forma, foi com ela que aprendi. Estou há anos-luz de ser como ela, mas faço o possível.

É muito gratificante receber a oportunidade divina de ser útil, de compartilhar qualquer coisa... na manhã desta segunda-feira, pude ser útil, ainda que de forma muito restrita. A satisfação pessoal de poder ser um mecanismo de transformação de vida não tem preço. Espero ter ajudado de alguma forma, e que a criatura divina possa achar o caminho com as próprias pernas. 

Afinal, deve-se sempre ter em mente que é melhor ensinar a pescar. Eu faço a minha parte...