quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Coisas do rol de "mais do que deveria"

Essa manhã, verifiquei o saldo da conta bancária. Faz-se desnecessário qualquer comentário adicional sobre o que consta no extrato.

Em momentos assim, sinto o choque da realidade. Como costumo (e às vezes até prefiro) viver no "país das maravilhas", acontecimentos dessa natureza impulsionam análises mais profundas das consequências dos meus atos. Adiante, elenco algumas situações constantes do rol das coisas classificadas como "mais do que deveria", na esperança de traduzir os fatos e promover mudanças:

  1. Estou numa fase em que ando comendo "mais do que deveria". Consequência? Roupas apertadas;
  2. Faz 3 semanas que não piso na academia, (uma preguiça além do comum) que me custa mensalmente R$ 109,00. Consequência? Somando o item 1 ao 2, o prognóstico é de completo desastre muito em breve;
  3. Tenho dormido "menos do que deveria". Consequência? Um cansaço que se arrasta há semanas;
  4. Venho gastando "mais do que deveria". Bem mais. Consequência? Vai demorar um bocado para, enfim, trocar de carro.
Realmente, passou da hora de promover alterações nesse ritmo de vida. Mudar é preciso, senão, vou quebrar a balança* (e o bolso, rsrsrs). 

*piadinha infame, um trocadilho com o trecho da música do Rappa: "navegar é preciso, senão, a rotina te cansa".