terça-feira, 22 de janeiro de 2013

"Vamos celebrar a estupidez humana*"

"Um espírito mesquinho é como um microscópio: 
aumenta as pequenas coisas, mas impede de ver as grandes."
 
Há dias em que não é fácil levar adiante o propósito de não reclamar, especialmente diante de acontecimentos esdrúxulos. Antes de destilar veneno, atitude muito comum quando o embate não é possível, recolhi-me em copas e cá estou, num esforço hercúleo para não estragar o meu dia, e o de outras pessoas.

A bem da verdade, pude perceber como perdemos tempo com mediocridades, quando há tanto para se fazer. Lembro bem um episódio relatado pela Milena, acerca de uma tempestade em torno de um post que escrevi aqui no blog, sobre o qual muito se falou e - pasmem! - lhe foi cobrada explicação sobre o teor. Ora, ora, a quem pertece o blog? rsrsrs Por que raios ela haveria de saber sobre o que escrevi?

Além de rir muito do que ela disse ("ah bom, todos os problemas 'daqui' devem estar resolvidos então, porque se ocupar do que a Tatiana escreve num blog, pelo amor de Deus, é muita falta do que fazer"), tive a prova da imensa estupidez humana, que veste a carapuça a torto e a direito. Achou ruim porque escrevi algo? Fique à vontade, os comentários são moderados, o que significa que lerei antes de publicá-los...

Pois bem, retornando ao tema do post, ainda estou tentando compreender os motivos de um certo acontecimento; em ponderações feitas à mamãe e ao João, entendi que de fato não estou louca, rs. É irracional e mesquinha a atitude. Assim como a água, contornei o obstáculo, e dei início a uma espécie de protesto silencioso, porém furnido de significado. 

Em prece, peço e insisto para que o Poder Superior possa afastar deste ser humano as sombras do espírito, e que a razão prevaleça sobre o ímpeto de vingança.

* Trecho da música "Perfeição", Legião Urbana.