sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Divagando em contos III

"Um dia, ela olhou ao redor e percebeu que as pessoas nas ruas haviam perdido um pouco a cor... meio desbotadas, meio desfocadas. O que estava acontecendo? Os óculos estariam com lentes desatualizadas? Ou simplesmente sujos?

Parou, limpou, recolocou e nada! 

Seguindo, deu-se conta de que, ao passo que as pessoas eram monocromáticas, o mundo parecia  mais colorido, mais vivo. Não comentou, guardou consigo aquelas impressões todas.

Sozinha, mais tarde, repassou mentalmente o dia. Foi então que veio o estalo. Claro, como não havia pensado nisso antes? Que óculos fracos que nada; sujeira, muito menos... a poesia do encantamento, o sentimento correspondido, manso, profundo, tornava o mundo um lugar melhor de se viver, e transformava "os outros" em tão somente "os outros".

De especial, só um. Só ele. A razão do sorriso fácil, dos sonhos, dos planos. 

Ele. <3 i="">