terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Grande demais para o espaço pequeno

Tecnicamente, não vou reclamar, só farei ponderações, ok?

Não é de hoje que a minha paciência desceu a níveis críticos, chegando a picos negativos na velocidade da luz. Segundo minha terapeuta, os rompantes estão intimamente ligados à profunda insatisfação com determinadas relações. 

Romper com a pecha de "filha mais velha", de "exemplo de conduta", não é tarefa fácil, porém cansei de adiar... provavelmente, é isso que está ferindo os brios das pessoas tidas como "vítimas" da impaciência. Por sinal, até o fato de não morar sozinha, aos 31, tenha parcela de contribuição para o quadro.

Exausta de remar contra a maré em diversos aspectos, de ter que me limitar a um espaço onde notoriamente não caibo mais, enfim... a foto acima ilustra o meu sentimento. Até a decisão de criar um cachorro virou motivo para desgastes diários. 

Curioso que, a exemplo de quando você inicia uma dieta, chega em casa e na geladeira há toda sorte de guloseimas e comidas nada saudáveis, no instante em que impus a mim mesma a necessidade de relevar e tentar não entrar em embates, tudo se direciona para um lugar onde só existem conflitos e motivos-estopim. Se eu revido, sou grossa e impaciente; se me calo, sou fria e distante. 

Não há medidas, essa é a verdade. Quanto a mim, sigo fazendo o possível e aceitando o improvável, rezando e estudando formas de reunir condições para seguir um rumo próprio.