terça-feira, 9 de agosto de 2011

As redes são mesmo "sociais"?

Somos inacreditavelmente capazes de abstrair nossas próprias atitudes equivocadas, e seguir adiante como se nada tivesse acontecido. Traduzindo: somos tremendos caras-de-pau.

Meu nobre amigo Fernando não é lá muito chegado às relações interpessoais via redes sociais; concordo, em parte, principalmente quando substituimos os encontros por mensagens em "murais", abraços calorosos por "cutucões" ou um polegarzinho apontando para o alto (o famoso "curtir", do Facebook).

Ok, você que não utiliza redes sociais dirá que só participa quem quer. Em resposta, afirmo que existem empregadores que "sugerem" não só o ingresso, como impelem a aceitação de "amigos". Sem mencionar a censura no quesito "publicações", seja de fotos, seja de mensagens mesmo.

Até que ponto existe liberdade de expressão, quando o assunto é rede social? Fica a pergunta...