sexta-feira, 18 de março de 2011

Andei pensando...

 ... que talvez largar tudo e estudar Moda seria uma alternativa viável. 

Bom, não quero dizer com isso que me acho uma Constanza Pascolato, uma Glória Kalil, nada disso. Mas sabe quando os olhinhos brilham, o coração aquece, o assunto é tão apaixonante, tão instigante, tão tudo, que você poderia ficar horas a fio falando ou lendo sobre ele???

Tudo começou com a instalação da Sky lá na casa de mamãe... rs (sim, preciso adotar essa nomenclatura "casa da mamãe", visto que eu agora tenho uma casa noutro município. E como convencer o digníssimo se eu mesma trato a situação de forma diversa?). Em verdade, sempre fui ligada ao tema, mas nunca dei importância de fato.

Pois bem, com o acesso diário à programação da tv por assinatura, e programas como "What not to wear" (no Brasil: Esquadrão da Moda), Tamanho Único, GNT Fashion at all, esse encantamento transformou minha perspectiva. O guarda-roupas mudou (claro, influência também do amadurecimento), a sapateira inchou (kkkkkkk, tema polêmico lá no domicílio), as prateleiras do banheiro ganharam cosméticos, maquiagens, a pele ganhou outros cuidados, cabelos idem, enfim. Mudou quase tudo.

(digo quase porque o peso continua o mesmo, ou pior!).

Com as oscilações profissionais, um bichinho-carpinteiro começou a corroer o que era uma certeza na minha vida: a vocação para o Direito. Na contramão, a moda continuou ali, sorrindo, despretensiosamente. 

Hoje, pela primeira vez na vida, admiti que há uma chance de que essa "dança das cadeiras" se torne real. Enfim, por questões financeiras, preciso continuar advogando. Mas quero abrir essa porta em paralelo, dar início - através de estudos - a uma "carreira em paralelo". 

Sei lá, minhas amigas que me lêem, ajudem aí. Digam suas opiniões, com a mesma honestidade da Milena, quando disse que eu não tinha talento para vender. kkkkkkkkkkk

It's not easy, but...