segunda-feira, 30 de julho de 2012

Dor e alegria

Final de semana que iniciou e findou repleto de saudade! Como comentei, toda sexta temos revivido aquela sexta, cheia de tristeza e dor, inundada de lágrimas e pesar. A mim, parece que os dias passam normais, e só a sexta traz e volta a agonia de haver devolvido a Deus um ser tão amado.

Sábado pela manhã foi de susto - nada que gere preocupação, posto que resolvi prontamente e só depois comuniquei aos interessados - e a tarde foi de congraçamento pela proximidade da chegada do mais novo João dessa família: João Pedro.

Vovó Eveline, tias Sandra e Silvia, com participações especiais, organizaram com primor o chá-de-fraldas do nosso príncipe, bendito entre as mulheres (somos 4 tias oficiais, e uma legião de outras por afinidade). Ver aquele quartinho pronto, à espera do caçula, amainou a dor da perda tão recente.

Enquanto nossas vidas se enchem de azul, bege e branco, nossos corações relutam em deixar para trás o rosa e o lilás. Nessa dualidade entre o luto e a alegria, seguimos vivendo, torcendo para que a esperança renasça no dia 13 de agosto, data provável do parto.

E no domingo, fechamos o primeiro ciclo: 30 dias do falecimento da nossa amada gorduchinha. Ainda que ninguém blasfeme, tampouco questione os desígnios de Deus, é impossível não verter lágrimas saudosas... e não sentir dor ao ver pequenas correndo pelos cantos, sem pensar que jamais teremos a graça de vê-la correr e cair, descobrir o mundo... 

O hiato entre a Maria Eduarda e o João Pedro haverá de ser, eternamente, preenchido por lembranças da pequena que mesmo sem ter dito muitas palavras nos 365 dias de vida, ensinou e vai seguir ensinando. 

We miss you so much :'(