quinta-feira, 21 de julho de 2011

Lanchonete nova e um crime nutricional

Se por um lado tenho cumprido a jornada de pilates com afinco e regularmente, no quesito alimentação, muitos pontos precisam de revisão urgente.

Nossa amiga Lara cismou de conhecer uma lanchonete que inaugurou na Av. Dom Luis, entre R. Frei Mansueto e R. Tibúrcio Cavalcante: The Burguers On The Table. Trata-se da evolução do que, um dia, foi um trailler, cujo cardápio e modus operandi é bastante semelhante ao Burguer King.

Pois bem, tratamos de incluir Milena na programação, e assim a quadrilha estava minimamente formada, rs. E o estrago foi grande, rs. Afinal, mulheres reunidas numa lanchonete e um sem-número de assuntos para colocar em dia, não é difícil imaginar o resultado.

Antes de confessar meus pecados capitais, vamos às observações sobre o local, o atendimento e o cardápio... bom, o lugar é pequeno, e ontem estava povoado com seres numa faixa etária barulhenta, kkkk. A decoração é clean, naquele esquema americano de mesas fixas e poltronas no lugar de cadeiras. 

O cardápio é restrito, e tem coisas que, honestamente, são uma afronta à inteligência da pessoa. Um refri custa R$ 4,00; um suco, R$ 4,50. Se você quiser substituir o refri que compõe o combo, por suco, paga um adicional deR$ 1,50. 

Isso mesmo, você não paga a diferença de R$ 0,50, mas sim o refri e um adicional. Absurdo!

Falando em combo, os preços por lá são sem noção, total! Mais caro que Burguer King e Mc Donald's. Por exemplo, o combo que pedi (Wow Chicken + batata frita + "refri") custa R$ 16,55. Como não tomo refri, paguei, indignada, o adicional de R$ 1,50 pelo suco. De polpa. Sem comentários!

Prestenção, porque ainda tem mais: não aceita cartão (nem crédito, nem débito), e não há avisos em local algum; nem na entrada, nem no caixa. A atendente que tirou o pedido na fila também não avisou. Resultado? Tivemos que ir à farmácia, que fica ao lado, para sacar $$ no caixa eletrônico.

Apesar da boa vontade de quem trabalha por lá, a fila fica enorme, o que dá uma impaciência no sujeito... Aí você escolhe, paga, e recebe um papelzinho escrito de caneta, com o número do seu pedido. Aí, senta que lá vem a história. Demora, e quando está pronto, o pessoal fica gritando para o dono do número ir até o balcão.

A despeito dos entreveros, a comida em si é muito boa. Meu sanduíche estava gostoso, a batata bem sequinha, o suco... bem, era de polpa, nada surpreendente. Agora meus caros, os molhos de lá, pelamordideus (não, eu não sou analfabeta, escrevi assim de propósito, ok?). A maionese é temperada e viciante; o molho da casa é agridoce, sem palavras para descrever a sensação. 

Pronto, agora que falei do lugar, e confessei meu crime nutricional, só tenho a dizer que adorei a noite. No dia do amigo, com duas queridonas, não tem preço!