domingo, 10 de julho de 2011

O coração da casa

Desde criança, ouço falar que a cozinha é o coração de uma casa. Sabem de uma coisa? É verdade!

Lembro de adorar passar os finais de semana na casa da vovó, e aprender a confeitar bolos (vovó foi confeiteira, lembro dos bolos "artísticos") só para comer o glacê que ficava nos bicos decorativos, rs. Ah! os pirulitos de banana, os biscoitinhos, os salgadinhos... 

Vovó, por sinal, tinha umas coisas engraçadas para nos manter ocupados (e longe das cadeiras de palhinha, que certa vez destruimos com facas afiadas, rs): acampamentos feitos com lona (e comidinhas condizentes), oficina de reciclagem, enfim, fomos crianças, de verdade.

Voltando ao assunto do post... as reuniões de família sempre mobilizavam as mulheres da família na cozinha, e os homens, na churrasqueira, rs. Hum, mas é bem verdade que a vovó criou os filhOs na cozinha, rs. Papai, tio Jorge, todos tinham/tem uma "mão boa"... que o digam as caranguejadas, os churrascos, as peixadas, huuuuuuuuuuuuuuuum!!!!

Pois bem, ontem, quando acordei, a cozinha aqui estava cheia... crianças, cachorros, mamãe, Rose, Cláudia... e o caos deu lugar a um almoço sensacional, um bolo fofinho para o lanche da tarde, e um panelão (literalmente) de doce-de-leite caseiro. 

Quem mora sozinho não terá, certamente, bagunça na cozinha, louças que se multiplicam dentro da pia, fogão engordurado. Em contrapartida, não será surpreendido pelo aroma das panelas, a expectativa pelo que vem do forno, as conversas e risadas durante os preparos. Ahhhhhh, como é bom ter a casa - e a cozinha - cheia(s).