domingo, 1 de abril de 2012

A primeira resposta

Há pouco mais de 10 dias, alguém me disse que eu teria as respostas que tanto queria. Domingo passado, fui deitar pensando nisso, e meio que "conversando" com o Poder Superior, sonhei com meu avô, falecido há quase 15 anos.

Com a mesa fisionomia, porém rejuvenescido e muito sereno, ele mencionou o assunto. Só que ao acordar, a única coisa da qual conseguia lembrar era o encontro. O que foi dito, ficou perdido.

Ontem, conversei com o mesmo que afirmou inicialmente que eu teria as respostas, dessa vez mencionando o sonho. Como previsto, fui informada que as receberia, mais breve do que imaginava. Bem, não precisava começar no dia seguinte...

Já me peguei pensando, remoendo, bradando e chorando, e essa ligação que recebi hoje, de certa forma, fechou um capítulo sombrio da minha vida. A despeito de não acreditar na totalidade do que ouvi, um comentário feito por minha mãe mostrou um lado que eu não vi, que a minha fúria indomável escondeu... creio que, como mãe, a minha percebeu as intenções escondidas atrás das palavras do outro lado da linha.

Enquanto escrevo este post, sinto um profundo alívio por não ter qualquer vínculo ou responsabilidade. Estou livre, e sei que, em que pesem as consequências das escolhas, foram todas acertadas. Sigo, convicta de que a semana começa transformada. Bom prognóstico para o 1º dia do 4º mês do ano!

Obrigada, Deus!