sábado, 28 de abril de 2012

Tropeço e continuação

A vida é cheia de topadas e continuação. Às vezes, fica ali um pedaço do dedão do pé, e a gente continua a caminhada sangrando, sentindo dor e, muitas vezes, blasfemando. Normal.

Enquanto a gente segue, coisas bacanas acontecem; afinal, nem tudo é ruim o tempo todo. Hoje, por exemplo... consegui finalmente dar ao meu quarto o toque de mestre... a tv na parede, as prateleiras... isso somado à estante lindinha, a mesinha charmosa na cabeceira... Agora sim, a mesa tem espaço suficiente para ser, de fato, utilizada como tal.

À noite, fomos visitar o vovô... daí vem a história do tropeço. 

A cada dia, ele melhora um, regride dois passos. Está na área de isolamento da UTI, devido a uma super-bactéria; está traqueostomizado, alterna momentos de lucidez e ausência... inclusive, deu-me um susto: assim que entrei na sala, falei com ele e ao tentar manifestar algo, ele engasgou e ficou vermelho, púrpura. Saí e chamei o médico, que me tranquilizou, dizendo que é assim mesmo...

Passado o sufoco, tornei a falar com ele, pedindo que só mexesse a cabeça, não verbalizasse. Não houve reação alguma. Falei, toquei e nada. Saí desanimada e me questionando: qual o sentido de estar daquele jeito? 

Só que me vem à cabeça que existe uma Força que é sábia, e não permite que haja sofrimento sem propósito. Nós é que somos imperfeitos, pensamos somente em nosso umbigo...

Seja feita a Tua vontade, e não a nossa. Mas se permitido for, abrevie esse sofrimento.