terça-feira, 24 de abril de 2012

Hopeless place

Muita gente tem dificuldade de compreender quando digo que situações-limite testam a minha capacidade emocional. Usualmente, isso é confundido com fraqueza, mas está há anos-luz disso.

O fato é que crescemos expostos a um sem-número de informações, influências, que acabam por "determinar" a forma como cada um reage aos acontecimentos. Conheço o caso de uma pessoa que, no curso da vida, perdeu (cedo demais) a mãe, e pouco tempo depois, o pai. Instintivamente, desenvolveu uma inabilidade de se relacionar; tornou-se, à primeira vista, insensível, frio, calculista. Se olharmos de perto, é só um bichinho acuado, que usa das armas que tem para se defender.

Pois bem, voltemos o foco a esta que vos escreve. Não são raros os momentos em que sinto falta de ter com quem compartilhar as angústias, as dores, os sofrimentos... e, claro, as alegrias, as conquistas, os louros. Nessas ocasiões, vem à cabeça a música da Rihanna, "We found love", mais especificamente a introdução:

"It’s like screaming & no one can hear. 
You almost feel ashamed that someone could be that important that without them you feel like nothing. 
No one will ever understand how much it hurts. 
You feel hopeless, but nothing can save you. 
And when it’s over & it’s gone, you almost wish that you can have all that bad stuff back, so you can have the good."

"É como gritar e ninguém poder ouvir. 
Você quase sente vergonha de que alguém poderia ser tão importante que sem ele você sente que nada.
Ninguém nunca vai entender o quanto dói.  
Você se sente desesperado, mas nada pode salvá-lo.  
E quando tudo acabou e se foi, você quase deseja poder ter todas essas coisas ruins de volta, para assim poder ter as boas."

And so it is, just like you said it should be.* 

Mas a vida segue seu curso, e sozinha - ainda que cercada de gente - eu terei de enfrentar a folia e o caos, tudo a seu momento. Talvez assim, quando não houver outra alternativa, eu descubra a força que jaz em mim, adormecida.

*Então é isso, exatamente como você disse que deveria ser
(trecho de outra música, Blower's daughter, de Damien Rice)