segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

O repouso em meio ao cotidiano.

Os dias têm sido corridos, e isso gera um cansaço que vai se acumulando. O resultado? Finais de semana de sono interminável, daquele tipo que, quando você enfim acorda, o corpo está moído. 

Eu estou ciente de que deveria dormir melhor durante a semana, evitando longas horas além das 8h recomendadas, aos finais de semana. Todo dia eu digo a mim mesma que devo deitar cedo, e quase sempre não acontece. 

Claro que a vida atribulada tem uma parcela grande de contribuição para o retardamento da hora de deitar. Se eu fosse cumprir, a rigor, um cronograma de horas de repouso, deveria em regra estar deitada às 22h, no máximo. Porém, chego do escritório às 19h; três dias na semana, tenho muay-thai das 20h às 21h. Estou programando academia para os outros dois dias, o que me fará chegar em casa por volta das 21h, também.

E todos sabemos que volver ao lar não é só estacionar o carro, guardar a bolsa, e pronto... há uma série de coisas (e pessoas) envolvidas. Isso sem mencionar as distrações comuns: tv, computador... Tenho evitado, a muito custo, ligar a tv justamente para evitar o prolongar da noite. O computador, nem se fala. 

Mais uma semana começa, e as promessas se renovam, especialmente quanto às necessidades de sono e atividade física. Meu corpo com certeza vai agradecer!