terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Hope, against all odds

Recebi um e-mail da genitora, contendo uma apresentação de slides, e no corpo da mensagem havia uma frase interessante:  

"A esperança não é a última que morre. É a primeira que nasce, quando tudo parece estar perdido. Por isso estou aqui... e vivo desta esperança... pois há momentos que valem por uma vida inteira, e eu estou aqui para vivê-los."

Imediatamente, pensei na fase que estou vivendo. De fato, o que por alguns é tido como comodismo, inércia, carência, para mim é simplesmente a demonstração de que eu estou vivendo tais momentos, com esperança. E você poderia perguntar se, nesse caso, ainda há esperanças... digo que sim, há, porque nem só de tragédias vive esse relacionamento.

A despeito de tudo o que passou, bad moments, há uma infinidade de momentos doces, muito companheirismo, cumplicidade, amizade mesmo (eu ousaria dizer que se trata de um casamento de fato). Ora, e não seria justamente isso que sustentaria um relacionamento, quando o fogo e a paixão abrandassem? O que dizer de um casal cuja única "liga" fosse justamente a atração provocada pela paixão? Seria capaz de sobreviver quando tudo amainasse?

A minha compreensão de relacionamento bem sucedido perpassa o que se sucede na alcova. É, lato sensu, muito mais o que ocorre nos demais cômodos da casa, rsrsrs, e fora dela, do que qualquer outra coisa. É saber com quem contar num momento de dificuldade; ter alguém para quem ligar, mesmo que não diga uma palavra sequer; é ficar ao lado vendo tv, comendo pipoca; é aturar reclamações sobre o valor da conta do cartão de crédito, e no minuto seguinte, ouvir "mas eu ajudo você a pagar"; é falar de filhos imaginários, ainda que não os queira; é discutir sobre levar ou não o cachorro para passear... combinar o que jantar, incentivar bons hábitos... enfim...

Eu poderia ficar horas, escrever linhas e mais linhas sobre a minha concepção de união salutar. Mas o texto aqui fala, mais especificamente, de esperança. E se tem alguém que pode falar com propriedade sobre o assunto, essa pessoa sou eu. 

I still believe, against all odds.