sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Música e filhos mais velhos

De repente, um trecho de música bem conhecida passou a me assombrar: "sempre precisei de um pouco de atenção, acho que não sei quem sou, só sei do que não gosto" (Legião Urbana - Teatro dos Vampiros).


Provavelmente, deve ser síndrome do filho mais velho. Bom, até agora, eu sequer sabia que existia essa "síndrome". Mas, jogando no Google, acabei surpreendida. Inclusive, colaciono um trecho retirado daqui

"As brigas eliminam a condição de Filho Único e levam-no à condição de irmão, que são unidos como unha e carne..., mas unha de um na carne do outro. Assim, ter irmãos é essencial para desenvolver vida social. É pertencer ao subgrupo familiar dos filhos, pares entre si.

Eles brigam entre si porque sentem que podem brigar em igualdade de condições. O menor fica do tamanho do maior quando grita e um adulto vem socorrê-lo sempre dando bronca no maior: "Por que você não bate em alguém do seu tamanho?". Os pais muitas vezes não percebem que a briga pode ter começado pelo menor agredindo e/ou pegando as suas coisas. Isso é bastante comum com filhos caçulas tratados como Filhos Únicos pela diferença de idade, de sexo, ou pelo fato de os pais não planejarem mais ter filhos."

Nós, os "mais velhos", somos frequentemente instados a assumir o papel dos pais, no que tange a responsabilidades; porém, na hora da solução de conflitos, via de regra, ou apanham os dois, ou o(a) pai(mãe) pende a balança em desfavor do primogênito. No meu caso, passei a vida toda sendo bombardeada com frases do tipo "você tem que dar o exemplo", "você é a mais velha, tem que dividir", "coitado(a) do(a) seu(ua) irmão(ã)". 

Perdi as contas de quantas vezes as minhas necessidades foram negligenciadas, em detrimento de outro filho. Óbvio que nem sempre foi de má-fé, ou proposital; porém é inegável que causou danos severos à personalidade desta que subscreve. Realmente, a "ficha caiu" sobre não saber quem sou, e de alguma forma, ainda ter a necessidade de receber atenção. 

Curioso, como na letra da música, é que eu "só sei do que não gosto". Mesmo. (risos).