segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Dobrando 2012 para colocar numa caixa

Ano passado, não me recordo exatamente do que estava fazendo a essa altura do dia, mas por infortúnio, das horas que antecederam a virada, e as posteriores, eu me recordo com maestria. Aquilo tudo foi o prenúncio de um ano difícil em quase todos os aspectos da vida.

Eu pedi - e muito - para que o que me martirizava fosse embora, saísse da minha vida e levasse consigo o fel, o dissabor, e o conjunto da obra. Aconteceu, e foi o start de um longo aprendizado. Mais prudente, porém não menos afoita, acabei de jogando de cabeça noutra história, mas os alarmes permaneceram todos ligados, e o resultado não poderia ter sido outro.

Vieram as dores em março, em abril, mas foi em maio que a laceração se abriu verdadeiramente... o alívio mínimo em junho - talvez só para que eu tivesse um pouco de paz durante o período do aniversário - para o buraco sem fim, escuro, profundo, e de onde eu provavelmente jamais teria conseguido sair, se não fossem pessoas amadas (aqui cito as que se fizeram presentes aos velórios: Milena, Lara, Socorro, Thaty, Flávia, João, e as que gentilmente se dignaram a ligar e me confortar), e claro, se não fosse a terapia.

Cega, segui me arrastando pelos dias, até que "no meio de tanta gente eu encontrei você, entre tanta gente chata e sem nenhuma graça, você veio... e eu que pensava que não ia me apaixonar nunca mais na vida". O resto é história do livro, é um sem-número de declarações de amor que já fiz aqui no blog, ou no Facebook... e as que estão registradas somente no silêncio dos nossos olhares.

Os últimos dias de 2012 têm sido difíceis, e a balança vem pendendo ora para o lado do medo, ora da coragem. O fiel da balança é a esperança... 

Em suma, fica aqui o meu desejo a todos de que 2013 seja um ano livre, leve e solto, sem tanta amargura nem dor. Rogo a Deus que nos abençoe, e nos proteja da inveja alheia, principalmente. Mas que, se sobrar um tempinho, que Ele possa tornar reais desejos práticos, simples, mas que terão efeitos positivos sobre a minha vida, a vida do João...