quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Os dois lobos, os dois blogs

Um velho sábio índio disse ao jovem guerreiro de sua tribo que dentro dele existiam dois lobos, um bom e outro mau e que eles travavam lutas diárias. O jovem guerreiro perguntou quem ganhava essas lutas, ao que o velho sábio respondeu: “O que eu alimentar melhor”

Quem nunca leu algo nesse sentido? rsrs.
Trazendo o enfoque para mim, percebi que o blog - este blog - estava seguindo essa linha, ora alimentando o bom, ora o mau, e no final das contas eu provavelmente estava munindo terceiros com mecanismos para, se não me derrotar, ao menos ferir com gravidade. Ou usar contra as pessoas que amo.

Entre tantos motivos, esse foi o que me levou a separar a dualidade. In casu, separei os blogs. Ou melhor, criei outro, que vai funcionar como válvula de escape para o lado negro da força, digamos assim. Sem censuras, sem receio de ferirr alguém com os meus sentimentos, minhas mágoas, ressentimentos, amarguras e, especialmente, com a minha ira, com a fúria que eu nem sempre consigo controlar.

Percebi - e a terapeuta alertou - que represar frustrações, medos e afins era adiar um problema, que quando irrompesse, causaria danos possivelmente incontroláveis, irremediáveis. Sim, literalmente, um tsunami. Pode-se prever seu acontecimento, e até minimizar seu impacto, mas jamais controlar sua intensidade, seu poder destrutivo.

Aos que vem aqui para buscar elementos a serem usados contra mim no "tribunal", rsrs, sinto muito.

Aos que vem apreciar o que escrevo, muito obrigada. É ótimo ter amigos leitores, admiradores, enfim. Não é um trabalho, é um hobby, e claro que prezo muito por todos que apreciam.

Aos invejosos, ciumentos e afins, um desejo: que receba em dobro o que me desejar. :*