terça-feira, 7 de agosto de 2012

Filhos e o reflexo da nossa própria criação

Ontem eu percebi o quanto realmente nossa criação prejudicou a forma de ver o mundo, de lidar com as gerações que se seguem. Estamos passando adiante as lições ruins que aprendemos.

Pior é a negação de que isso é realidade. "Não, eu sou bem resolvido, não tenho traumas", foi o que meu irmão disse. Ledo engano... a primogênita dele é a prova disso. Quando contrariada, reage de forma idêntica a ele. Quando ignorada, os meios de chamar atenção são cópias fidedignas.

Ainda que ele reconheça comportamentos próprios nela, justifica alegando que é o DNA. Não, não é. É comportamental. A criança é um reflexo da criação, e percebe com uma facilidade inacreditável e com a mesma habilidade que a água, como transpor obstáculos para atingir seus objetivos.

Bom, para resumir a história, ele ouviu - digamos - algumas coisinhas ontem à noite, sobre omissão, necessidade de suporte psicológico, visitas, experiências da nossa criação (especialmente no que tange às visitas das crianças à avó paterna, já que todo domingo era dia de almoçar na casa da vovó Francisca).

Espero que ecoe nele e que haja correções na rota, para o bem e o futuro da Duda e do JP.