quarta-feira, 10 de outubro de 2012

O sonho ruim

Como de costume, despertei no meio da noite. Só que dessa vez, angustiada, com falta de ar e assustada com o sonho que tive. Nele, eu estava n'algum lugar conversando com pessoas quando o amado mandava um bilhete e desaparecia. No bilhete, uma frase: "foi você que sumiu, porque eu fiquei 20 minutos aqui conversando com a Carolzinha".

WTF?! Carolzinha, no caso, era a minha prima (na verdade, filha de uma prima do meu pai...). Foi tão vívida a sensação de abandono, a agonia de procurá-lo sem sucesso, e estar ao chão quando, de repente, todos os "falecidos" me observando, como se todos fossem uma muralha humana. Dentre eles, meus olhos buscavam outros olhos, sem encontrar.

O silêncio da madrugada, a aflição de não poder ligar e contar tudo... foi difícil recompor os ânimos para tentar dormir novamente. 

Hoje, tratei de informar sobre o pesadelo via whatsapp:

Ele: Bonjour mon amour [e pergunta acerca de uma ação sobre a qual conversamos ontem].
Eu: Sabia que acordei de madrugada após um pesadelo? Sonhei que você me deixava.

Meu telefone tocou imediatamente após o envio da mensagem. Era ele. Virou e disse "a única possibilidade de conjugar o verbo 'deixar' em relação a você é 'deixar você mais feliz'. Entendeu?". 

Sim, entendi. Foi só um sonho ruim...
Dizem que, se a gente conta, nunca acontece.
rsrsrsrsrs