quarta-feira, 31 de julho de 2013

Sobre não ser rato, não desistir, e adorar uma confusão

"I don't wanna be someone who walks away so easily
Eu não quero ser alguém que vai embora tão facilmente
I'm here to stay and make the difference that I can make
Estou aqui para ficar e fazer a diferença que eu puder fazer
Our differences they do a lot to teach us how to use
Nossas diferenças fazem muito para nos ensinar como usar
The tools and gifts we got yeah, we got a lot at stake
As ferramentas e os presentes que recebemos, sim, temos muita coisa em jogo"
(I won't give up - Jason Mraz)

Sou do tipo que só abandona o barco após um sem-número de sinalizações claras nesse sentido, e quando esgotadas todas as possibilidades. Creio - aliás, já discuti isso em algumas sessões de terapia - que isso tenha raízes na minha criação, na realidade em que cresci. Se é bom ou ruim, honestamente, sou suspeita para julgar.

Sei que já fiz planos, já construí castelos e sonhei ser salva do dragão (como diria a música que, perdoem-me, não sei se é de autoria de Ney Matogrosso, mas que está gravada na minha memória na voz dele), e o presente está aí para mostrar que não funcionou. Mas como sou brasileira (até no sobrenome), e não desisto nunca, cá estou, às portas da batalha épica da minha vida. Cheia de sonhos, de organogramas, de listas e afins. Tudo no campo das ideias, ok? O fantástico mundo de Bobby meu cérebro armazena teorias de conspiração, receitas, e inúmeros projetos de vida.

Voltando... 

O fato é que tomar decisões implica em fazer escolhas (ohhhh, descobri o Brasil, né?), e nem sempre são simples e fáceis. Não é mudar o criado-mudo de lugar, nem trocar o ponytail pela trança; é nível hardcore mesmo, tipo, mexer com vááááááárias pessoas, provavelmente obrigá-las a sair da zona de conforto. Já viu, né? Tô atrás de confusão braba. Mas quem seria eu - a louca - se não fossem as brigas homéricas, hein, hein?

Bom, mas o que eu quero dizer com esse post é que eu não vim aqui pra desistir agora (ok, ok, outro trecho de letra de música, dos Engenheiros, dessa vez). 

Vai ser punk? Sim! 
Vai causar problemas? Talvez. 
Vai me fazer feliz? Com certeza!

Então, meu senhor, comece a salvar aí your precious nickels, prepare a armadura mais resistente, que eu faço o mesmo daqui. E fique certo de uma coisa: tamo junto e misturado! kkkkkkkkkkkk