domingo, 3 de março de 2013

O sol voltou essa manhã

Acabo de assistir "Querido John".
Coincidências à parte (o nome do livro/filme e do meu amado), fica em mim muita coisa além de lágrimas pelo final feliz da história.
Não importa o quanto de sofrimento, de dor e espera eu tenha amargado em 31 anos de vida. O fato é que, a cada dia, estou mais próxima desse happy end...
Muito longe de acreditar em contos de fada, já que a idade e a vida me roubaram a inocência infantil, compreendi finalmente que a construção de um relacionamento se faz incansável e diuturnamente.
Há dias de desespero e agonia, de escuridão e amargura. Mas assim como o sol se impõe sobre as sombras, o amor é a mais poderosa arma contra tudo e todos.
E lá vamos nós, outra vez, pela estrada afora...