quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

A minha cartinha para o Noel

Fortaleza, 24 de dezembro de 2014.

Imagem daqui
Querido Papai Noel,

eu sei que há muito, muito tempo, eu não sento para escrever uma cartinha endereçada ao senhor; quer dizer, para falar a verdade, não tenho escrito cartas propriamente ditas há anos, rs. Bom, mas isso não vem ao caso... 

O fato é que 2014 foi um ano de aprendizado, e quando uso esse termo para definir, em verdade quero dizer que houve dor e lágrimas... mas talvez seja somente assim que a gente consiga aprender a se levantar: caindo, sacodindo a poeira e colocando óculos escuros para disfarçar. Ainda bem que mandei fazer um par lindo ;)

Ah, sim, voltando ao propósito da carta... bem, eu queria agradecer por ter a oportunidade de, pela primeira vez em 33 anos, poder dizer que estou em casa, sem que isso se refira à casa da minha mãe. Não, eu não estou sendo ingrata, tampouco cuspindo no prato; é que, finalmente, eu sou a dona da casa. Obviamente, o pré-marido é o dono da casa, especialmente do fogão e das panelas. Espero que, muito em breve, eu seja a comandante da máquina de lavar roupas. Sim, porque eu descobri que sou boa nessa história de lavar a minha roupa e a dele... e fazer faxina também. Quem diria, né?

Olha só, na segunda-feira, quando todos foram embora, eu e ele nos olhamos, fechamos a porta e suspiramos. A sensação de que estamos construindo o nosso lar não tem preço, não comporta explicações! 

Eu sei que vou ser abusada, mas ainda há dois desejos que eu gostaria de realizar antes que as luzes de 2014 se apaguem... por favor, se o senhor puder, dê uma forcinha tá? A causa é nobre!

Obrigada, muito obrigada pelos presentes de Natal - materiais e energéticos, sentimentais e afins <3 p="">