segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Enough!

Imagem daqui
Por uma vida sem despertadores, sem a loucura do trânsito, sem o medo dos assaltos e da violência desenfreada, sem convivência forçada, sem a sensação de estar sendo usada e constantemente vigiada... mais amor em tudo o que se faz, das bijus à profissão abraçada, com remuneração mais compatível com a necessidade, do que com a nova forma de escravidão.

Eu tenho inveja de quem trabalha naquilo que ama, é remunerado à altura, e vive [muito bem] disso. Devia ser assim para todos. É para isso que a gente estuda, ou não? 

(mas ainda acho que eu devia ser dondoca, rsrs)