sexta-feira, 3 de maio de 2013

Vai lá e nocauteia, ora!

Sparring é um termo muito popular entre os praticantes de artes marciais. Peço licença para transcrever a definição, retirada do site da Federação Rio-Grandense de Pugilismo:


"Originalmente, 'sparring' era a palavra inglesa que referia-se ao ataque do galo usando seus esporões. Como o boxe adotou várias práticas e termos das rinhas, ficou a tradição de usarmos o verbo 'spar', ou seu gerúndio 'sparring', quando lutamos mais com sentido de treino, exibição ou mesmo puro divertimento, e usamos o verbo 'boxear' quando lutamos pra valer. No Brasil, prefere-se usar a expressão 'fazer luvas' como sinônimo do verbo sparring. 
Desse velho costume, se originou o substantivo sparring para denominar um colega que tenha estilo semelhante ao do nosso próximo adversário e que se dispõe a ajudar nosso preparo fazendo lutas de treinamento ('luvas') conosco."


Isto posto, algumas considerações... grandes nomes do MMA costumam aparecer como sparring de amigos, como Lyoto, Minotauro, Cigano e Anderson. 

Trazendo para a vida real, essa coisa de "fazer luvas" com alguém não dá futuro a ninguém. Sabe por que? Vamos voltar ao fundamento da coisa: para que serve "fazer luvas"? A resposta seria: para aprimorar as técnicas do lutador. Na prática, significa que o cara vai apanhar indefinidamente, vai se defender e com isso aguçar a defesa e o ataque do lutador em treinamento. Qual a graça de ser saco-de-pancadas, se quanto mais apanha, mais fortalece o outro? E quando se defende, ensina ao outro o que evitar no próximo golpe? 

A verdade nua e crua é que a vida não é treino, é luta. Então, calce as luvas e coloque seu protetor bucal, e se prepare para nocautear na primeira oportunidade! Caso contrário, sinto muito, mas o nocauteado será você.