segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

De volta :)

Há meses não escrevo para o blog... aliás, tenho escrito poucas linhas, em redes sociais. Creio que aquilo que digo não vai mudar o mundo, porque a mudança é algo endógeno... entretanto, pessoas como eu precisam externar aquilo de que discordam, para então conseguirem lidar com tudo e, quem sabe, mudarem a si mesmos.

Sou uma observadora muito crítica, deveras chata, eu admito. Nem sempre foi assim, mas a minha paciência se esgotou. Quem me conhece, e sabe uma parte da história, pode atestar que eu nunca, NUNCA, fui paciente; mas nessas circunstâncias, eu fui. Tolerância é uma virtude, sim. E eu estou longe de ser virtuosa, nesse aspecto. Provavelmente, a espiritualidade compreendeu que a única forma de me ensinar seria me testando, e como "bônus" eu teria ao meu lado um homem pacífico [até demais para o meu gosto]. 

Obviamente, se meu marido não fosse um homem sábio, eu já teria sido indiciada por lesão corporal. No mínimo. Ele, por sua vez, tem estômago de avestruz, ou algo que o valha. Isso porque ninguém engole mais sapos. É muita paciência num indivíduo só, minha gente. 

Ao passo em que as palavras saem de mim, vejo outros aspectos por trás de cada atitude, cada gesto; esforço-me para mudar quem sou, como penso, e tento agir de acordo com o que minha razão e minha emoção pedem. Não é fácil, mas nada nessa vida o é. Pessoas idiotas nunca mudam, e não medem esforços para manter as coisas do jeito que estão, mesmo quando visivelmente não está funcionando. 

Torço para que 2016 seja um ano de consolidações, já que 2015 foi um ano de grandes batalhas.