segunda-feira, 26 de maio de 2014

Limões que a vida dá, e uma campanha

A vida a-d-o-r-a me dar limões, é incrível! 

Creio que, de tanto fazer careta (coisa que a idade já não permite mais, sem cobrar um preço alto), desenvolvi uma capacidade de avaliar, antes de simplesmente me maldizer. Tal postura tem evitado dissabores, ou  pelo menos amenizado. 

Antes de noivar, ouvimos diversas pessoas dizerem a mesma coisa: fiquem noivos, e a vida vai abrir portas. Olha, pode até ter aberto alguma, mas a principal segue trancafiada, mais até que cofre de banco. A gente faz contas e mais contas, já começou a poupar o que dá, só que nesse ritmo, planos só lá para março de 2015... conta de gente otimista, tá?

Ahhhhhh, como eu queria ter paitrocínio ou mãetrocínio, mas a realidade anda longe disso; se bobear, acabo filitrocinando uma, e na mais remota das hipóteses, o outro. Sim, meus caros, that's true. Se você que me lê mora sob o teto do(s) genitor(es), for free, agradeça ajoelhado! Lá em casa, praticamente pago aluguel para morar, rsrsrs. 

Então, nessa linha de condução, eu tive que escolher entre priorizar uma festa, ou mudar; óbvio, pelas linhas escritas anteriormente, até março do ano que vem não terei nem um, nem o outro. Depois que conseguirmos mudar, vamos "rebolar" para nos manter, e aí, quem sabe, planejar para, só Ele sabe quando, reunir meia dúzia de pessoas para celebrar essa união.

Pois é, eu podia estar chorando, eu podia estar deprimida, mas estou trabalhando, tocando a vida. (rimou!) 

Quem sabe alguma alma generosa vai ler esse post, e contribuir voluntariamente para essa empreitada.