sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Para Alícia - ano 2

[assunto do post editado, a pedido do maior interessado, rsrs... de "A." para "Alícia"]

Um dia, você vai conhecer uma mulher muito especial, que me ensinou tanto, tanto, sobre como é possível não gerar alguém, e ser mãe mesmo assim. Vai entender, também, que não são os diplomas, os cursos, que fazem de uma mulher, uma verdadeira mãe; tampouco o fato de possuir útero e gerar um feto; é a dedicação a um projeto em constante crescimento e evolução. Foi essa mulher que me tornou madrinha... 

Você já conhece, mas não pode ter ideia - ainda - de como outra mulher, ao se tornar mãe, fez de mim, "tia". Lembro exatamente cada emoção tomando conta de mim, à medida em que o sonho de uma vida se fazia real... até esse sonho/projeto decidir chegar ao mundo numa quinta-feira, cinco dias antes do previsto. Quando você crescer, e tiver amigas, vai entender como é.

Mesmo "conhecendo" por fotos, você jamais conseguirá compreender, verdadeiramente, quem foi a criança que me virou do avesso, para que eu descobrisse que o avesso era o lado certo... e, sabe de uma coisa?Deus coloca as pessoas na vida da gente por um tempo determinado, e leva embora, ainda que isso nos doa muito, muito. Porque Ele sabe o que é melhor, enquanto a gente acha que sabe, mas não.

Se hoje eu sou assim - aliás, estou em construção - é porque vi, vivi e sigo vivendo muita coisa que serviu - e serve - de lição. Não essa que a gente leva da escola para fazer em casa... é mais ou menos como remédio amargo, que a gente precisa tomar para ficar curada. Por isso, não seja teimosa, faça suas lições direitinho e evite colheradas de líquido amargo...

Bom, mas o que eu queria dizer, realmente, é que mesmo não querendo gerar descendentes - um dia você vai saber o que é isso, rsrs - sempre estive disponível para dar o melhor de mim, para que você tenha o melhor do seu pai, e do que nós dois [juntos] pudermos oferecer, em todos os âmbitos da vida. Às vezes, vai ser complicado, meio estranho, até um pouco confuso... mas eu prometo, é para o seu bem, e vai dar tudo certo. Confie na gente!

No mais, eu sei que você sabe quem eu sou, o que represento, e desconfio que, mais do que ninguém, você saiba perfeitamente que os personagens dessa história possuem papéis bem definidos. Podem até não atuar como deveriam, mas um dia isso também vai mudar.

Um beijo estalado, na bochecha, de [hoje sim, de fato e de direito] feliz aniversário.