terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Eu posso, e será um dia de cada vez

Imagem daqui
Não foi a primeira, e provavelmente não será a última vez, que acordei, olhei no espelho e disse: já chega. Escolhi conscientemente o que comer, ignorei os apelos do meu cérebro para manter o corpo em estado de inércia: calcei os tênis, coloquei os fones de ouvido, ativei a playlist do Daft Punk e #partiucaminhada.

Toda vez que faço coisas do tipo, é inevitável questionar a mim mesma: por que você não faz isso todos os dias??? Qual a dificuldade??? A bem da verdade, não tenho uma explicação racional para isso... vez por outra isso vira assunto na terapia, porém sei que esse processo é meu, e algumas peças já conheço e compreendo, o resto é história.