terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Tenho pena de você

Vem aqui, puxa uma cadeira, senta pertinho porque a gente precisa conversar. Ah, põe o celular no silencioso, esteja presente de corpo e alma. É importante.

Veja bem, creio que não consegui fazer você entender como a vida seguiu o curso natural, enquanto você congelou no tempo, virou um quadro de paisagem abstrata, desbotado e empoeirado, pendurado numa parede descascada e mofada.

Pobre alma, aceite. Acorde e sinta o cheiro do café, que aliás, nem foi você que fez. Posso jurar que você parece do tipo que acredita que o leite vem do supermercado.

Mas sim, compreenda que os dinossauros dominaram a Terra, e hoje são somente ossos e história. Fica a dica 😉.